Início > Sem categoria > Plano Nacional de Banda Larga: Minicom conversa com telefônicas

Plano Nacional de Banda Larga: Minicom conversa com telefônicas


Nesta quinta-feira, 8 de outubro, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, se reuniu com representantes das cinco maiores operadoras telefônicas do país, para avaliar formas de facilitar e baratear a oferta de acesso à banda larga, com vistas à elaboração do Plano Nacional de Banda Larga. Na reunião, a intenção era discutir formas de colaboração da iniciativa privada. O Plano Nacional está sendo elaborado por grupos interministeriais, por decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O projeto será entregue ao presidente Lula até novembro.

Hélio Costa se reuniu com os presidentes da Telefônica, Antonio Carlos Valente; da Oi, Luiz Eduardo Falco; da Embratel, José Formoso; da Claro,  João Cox, e da TIM, Luca Luciani. O ministro quer a cooperação das companhias que operam no país os serviços de telefonia fixa e móvel para ampliar o serviço de acesso à internet nas cidades brasileiras.

Segundo Hélio Costa, a participação da iniciativa privada é decisiva para ampliar a infraestrutura de telecomunicações no país. “Sem as empresas é absolutamente impossível enfrentar esse grande desafio”, comentou. O ministério avalia que serão necessários investimentos superiores a R$ 10 bilhões para a para implementação do Plano Nacional de Banda Larga. Ele esteve reunido com o presidente Lula no final da manhã para tratar do assunto.

Na avaliação do ministro, a participação das empresas pode ser a chave para o sucesso da meta do governo de ampliar os serviços de banda larga no país. Ele lembrou que, graças a um acordo com a iniciativa privada foi possível implantar o Programa Banda Larga nas Escolas. Por iniciativa do Ministério das Comunicações, as empresas aceitaram trocar algumas das obrigações do Plano Geral de Metas de Universalização (PGMU) pela garantia da conexão de banda larga à internet em 50 mil escolas públicas até o final de 2010. “Hoje, temos 30 mil escolas públicas conectadas na área urbana”, comentou.

A importância do barateamento do link para o backhaul e a necessidade de incluir as grandes operadoras de telefonia no debate sobre acesso à banda larga já vinham sendo discutidas por atores ligados ao tema. A questão foi um dos principais assuntos debatidos no Fórum Nacional de Cidades Digitais, realizado nos dias 1 e 2 de outubro, em Brasília (DF). No evento, palestrantes e participantes salientaram o fato de o alto custo para conexão com o backhaul, operado pelas concessionárias de telefonia, ser um dos principais empecilhos para o estabelecimento de novas cidades digitais.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: