Arquivo

Archive for the ‘Software Livre’ Category

Google libera update da versão Android 3.2

19 de julho de 2011 Deixe um comentário

O Google liberou a atualização para a versão do seu sistema operacional Android 3.2, dedicada a dispositivos tablet. Inicialmente o update seria exclusivo para o Motorola Xoom, porém o Google decidiu estender a atualização para a ampla variedade de fabricantes que utilizam a plataforma Android.

Entre as novidades da atualização está a compatibilização do zoom na tela para aplicativos de tamanho fixo, permitindo a visualização em dispositivos maiores. O modo de compatibilidade oferece uma escala de pixels como alternativa para o padrão de redimensionamento em programas que não foram desenhados para rodar em telas maiores.

Além disso, o Google também liberou a API para suporte de tela estendida. Desta forma, os desenvolvedores terão mais controle sobre a interface do usuário entre os diferentes dispositivos Android.

O update também traz uma sincronia de mídias a partir de cartões SD. Agora tablets que suportam cartões SD removíveis poderão carregar arquivos diretamente do cartão para aplicativos que os utilizem.

Aprenda a instalar programas do Windows no Linux

18 de março de 2011 Deixe um comentário

Apesar de serem plataformas distintas, é possível rodar jogos ou programas da Microsoft em seu Linux, mesmo sem ter o Windows instalado em sua máquina. Para isso, basta instalar o Wine, um aplicativo que fará todo o trabalho necessário para executar seus softwares prediletos em outros sistemas operacionais.

Antes de tudo, é necessário entender que o Wine não é um emulador de Windows. O próprio programa se propagandeia que “Wine is not an emulator” (Wine não é um emulador, em tradução livre). Na verdade, ele atua como uma camada de compatibilidade, executando os softwares de maneira muito similar à plataforma da Microsoft. E por não ser um emulador, inclusive, não é necessário abrir o Wine antes de executar qualquer aplicativo.

Por estar em outra plataforma, é importante entender que o Wine não é perfeito e não possui 100% de compatibilidade com os softwares da Microsoft. Além disso, podem haver algumas ligeiras quedas de rendimento com alguns arquivos mais pesados, como jogos, por exemplo. Entretanto, este é um dos mais eficientes aplicativos para se executar programas de outra plataforma no Linux, sendo o mais indicado por usuários mais experientes. Confira o tutorial que o TechTudo preparou para você e saiba como usá-lo:

Passo 1. Copie o Wine para o seu sistema.

Passo 2. Com o Wine já em seu Linux, descompacte-o utilizando o comando:

# tar xvfz Wine-20020122.tar.gz (ajuste o nome do arquivo para as versões mais recentes, se for o caso);

Passo 3. Instale o software utilizando os seguintes comandos:

# ./configure
# make depend && make
# make install

Pronto! O Wine já está instalado em seu computador. Entretanto, para instalar ou rodar os programas da Microsoft em seu Linux será preciso sempre digitar o seguinte comando antes de executá-los:

Wine “nome do programa que você quer rodar“.

Como explicamos anteriormente, não é preciso abrir o Wine antes de executar os softwares.

LatinoWare

28 de outubro de 2010 Deixe um comentário

Ola pessoal passando para lembrar que já estão abertas as inscrições para o LatinoWare 2010, olha se tem caravanas saido de sua cidade, em baixo o link do portal deste grande evento!

http://www.latinoware.org/

Fedora 14 Beta Lançado.

29 de setembro de 2010 Deixe um comentário

O Fedora 14 Beta foi lançado nesta terça-feira trazendo uma prévia da versão final que será lançada no início de novembro. Várias novidades já podem ser testadas e verificadas pelos usuários.

Entre elas está o carregamento e salvamento mais rápido de imagens JPEG por meio da libjpeg-turbo e a inclusão da plataforma de interação com desktops virtualizados chamada Spice. Além disso, o Fedora 14 terá imagens já prontas para serem usadas no ambiente de computação em nuvem Amazon EC2 e conterá uma prévia do systemd, o futuro substituto do upstart.

A equipe de tradução do Projeto Fedora Brasil já está com o sistema 100% traduzido para o português, juntamente com as traduções mais recentes feitas pelas equipes do GNOME, KDE e outros ambientes de trabalho.

Para baixar a versão Beta, acesse: http://fedoraproject.org/get-prerelease?anF14b

GNUGRAF 2010

21 de setembro de 2010 Deixe um comentário

Esta semana começa o GNUGRAF e neste ano ano será na Estacão Leopoldina nos dias 24/09 e 25/09 (sexta e sábado). Para quem ainda não conhece o GNUGRAF, ele é o primeiro evento de computação gráfica com software livre do Brasil, e está em sua terceira edição. O evento é totalmente direcionado para profissionais da área de Áudio, Animação, Vídeo, Produção Gráfica e do ano passado pra cá Design de Jogos. Serão apresentadas 16 palestras, com duração de 1 hora cada, e 12 minicursos, com duração de 4 horas cada durante todos os dias do evento.Ministradas por membros atuantes da comunidade de software livre, terão enfoque técnico e objetivo, visando o aprimoramento dos inscritos e o fortalecimento do software livre na cidade e no estado do Rio de Janeiro. Dentre as novidades deste ano, o evento conta com o lançamento de duas tecnologias 100% brasileiras, uma é o VR Livre Estúdio, que é um módulo multimídia interativo, onde o usuário pode editar fotos, vídeos, som e muito mais numa interface amigável e bem intuitiva e a Lousa Interativa, que é um sistema que transforma qualquer datashow ou monitor em uma lousa digital. Outra Novidade é a oficina e a palestra de Maquete Eletrônica, uma alternativa para construturas e empresas de projetos demonstrarem seus projetos em 3D usando um software poderoso: O BLENDER. Nessa palestra o palestrante irá demonstrar o uso do Blender na Arquitetura e discutirá sobre o softwares no Linux voltados para Arquitetura e Archviz. O evento acontecerá nos dias 24/09 a 25/09 na Estação Leopoldina, Avenida Francisco Bicalho, 3, centro, rio de janeiro das 08:00h às 17:00, entrada franca. Maiores detalhes acesse http://gnugraf.org/.ra e discutirá sobre o softwares no Linux voltados para Arquitetura e Archviz. O evento acontecerá nos dias 24/09 a 25/09 na Estação Leopoldina, Avenida Francisco Bicalho, 3, centro, rio de janeiro das 08:00h às 17:00, entrada franca. Maiores detalhes acesse http://gnugraf.org/.

Linux Foundation lança o Open Compliance Program.

16 de agosto de 2010 Deixe um comentário

Empresas interessadas em aplicar código aberto a seus próprios produtos – mas que temem complicações relacionadas com direitos de propriedade intelectual – são o principal alvo de um novo programa de assistência, em grande parte gratuito, lançado pela organização sem fins lucrativos Linux Foundation.

O Open Compliance Program, como foi chamado, inclui uma lista de verificação de aderência, programas de treinamento e ferramentas de software para rastrear e monitorar o uso de software de código aberto.

O desenvolvimento de software envolve com frequência diversos programas – muitos deles de código aberto – em um pacote único, explicou o diretor executivo da Linux Foundation, Jim Zemlin. Isso ocorre especialmente nas áreas de celulares e de eletrônicos de consumo, ambas de rápido crescimento.

“Você tem de lidar com uma cadeia de suprimentos realmente complicada, onde se pode receber código fonte de muitos lugares diferentes, sejam eles um fornecedor de chipsets, um fabricante de celulares ou um desenvolvedor de software embarcado”, detalhou Zemlin. “Gerenciar a aderência de licenças de código aberto é complicado.”

Embates jurídicos
Muitas empresas não sabem como funcionam os diferentes tipos de licença de código aberto; os executivos dessas empresas, por sua vez, temem ser forçados a abrir seu próprio software só porque alguma parte dele utiliza código aberto sob a Licença Pública GNU (GPL). A SAP, por exemplo, criou um departamento e um programa específico para poder lidar com questões que envolvem código aberto.

“O que buscávamos era uma forma de resolver essa complexidade e prevenir medidas judiciais desnecessárias”, disse Zemlin. “Nossa comunidade tem o mesmo objetivo que a indústria: fazer com que o uso de código aberto seja mais fácil e tenha o menor custo possível”.

O programa da Linux Foundation fornece uma variedade de ferramentas e serviços para ajudar as empresas a ganhar agilidade no processo de uso de código aberto, disse Zemlin.

O programa inclui uma lista de verificação de aderência (que será fornecida mais tarde, ainda este ano), programas de treinamento, ferramentas de software que varrem os programas em busca de licenças de código aberto ou outras questões, e um novo padrão, chamado Software Package Data Exchange (SPDX), que pode ser usado para criar uma lista de empacotamento de todos os componentes de software utilizados numa aplicação.

Todos esses serviços serão gratuitos, com exceção dos treinamentos, afirmou Zemlin.

Empresas como Adobe, Advanced Micro Design, Cisco Systems, Google, Hewlett-Packard, IBM, Intel, Motorola, Novell, Samsung, o Software Freedom Law Center e a Sony Electronics manifestaram seu apoio ao programa.

Teste mostra que novo Ubuntu está simples para a maioria dos usuários

4 de novembro de 2009 Deixe um comentário

O dia 29 de outubro foi especial para a comunidade Linux pois marcou o lançamento da versão 9.10 do Ubuntu. Essa distribuição do Linux tem dois lançamentos por ano, sempre nos meses de abril e de outubro.

O Ubuntu caiu no gosto dos usuários e não poupa esforços para ser leve, completo e fácil de usar. O foco desta nova versão não está no visual e no pacote de aplicativos mas, sim, em deixar o sistema mais completo, seguro e rápido.

Por padrão, a interface gráfica do Ubuntu é o Gnome, que não traz grandes novidades estéticas. Ela é bastante simples e direta, com ícones grandes e permite a organização de aplicativos e de configurações em uma barra de ferramentas na parte superior da tela. Para quem gosta de um visual mais rebuscado e detalhado como o do Windows 7, o Gnome deixa a desejar. Mas quem prefere simplicidade e praticidade, ele é um prato cheio.

Claro que não posso deixar de dizer que a aparência da interface é altamente personalizável, permitindo ao usuário deixá-la do jeito que desejar. Vamos as novidades.

>>> Boot (inicialização) mais rápido?
Algumas mudanças técnicas deixaram o processo de inicialização do sistema mais rápido. Instalei o Ubuntu em meu PC principal (Intel Quad Core 2.4 GHz com 3 GB de RAM) e levou cerca de 45 segundos para ligar o computador e o sistema operacional estar pronto para o uso.

>>> Instalação diferenciada
O que mais me chamou a atenção no Ubuntu 9.10 é que existe uma opção de demonstração do Sistema, a LiveCD, sem que ela seja instalada, rodando-a diretamente do CD. Para minha surpresa, o disco carregou o sistema completo como seu eu tivesse optado pelo LiveCD. No desktop dessa opção, existe um ícone para instalação do sistema em modo gráfico e com algumas novidades como a possibilidade de login automático (sem a necessidade senha) e também uma opção de criptografia para a pasta raíz do usuário.

O particionamento do HD é feito de forma automática, o que é altamente recomendado para usuários mais leigos. Entretanto, para melhorar o desempenho do computador e ter mais segurança nos dados, o ideal é sempre realizar um particionamento manual, algo que pode ser aprendido por meio deste tutorial, que é completo e ilustrado.

>>> Substituição: sai o Pidgin, entra o Empathy
Gosto do PidGin, principalmente da sua versão “portátil” e não entendi o motivo da substituição dos programas. Claro que fazer parte do pacote padrão do sistema não significa que você também deva mudar de programa. Basta baixar e instalar o comunicador instantâneo que você mais gosta.

O Empathy tem um visual rústico e bastante simples, nada das rebuscadas telas do Windows Live Messenger. Ele se conecta nas mais variadas redes como MSN, Yahoo, Jabber (Google Talk) e AOL.

>>>Enfim, ficou fácil instalar programas
A Central de Programas do Ubuntu é algo essencial e fundamental para ajudar a popularizar o Linux. Explico: ele agrupa diversos aplicativos categorizados que podem ser baixados e instalados no PC. As explicações sobre o que são os aplicativos estão em português e em uma linguagem acessível para quem não entende os termos do sistema.

Escolha uma das categorias e procure o programa. Clicando na seta ao lado do seu nome, você verá mais detalhes sobre o aplicativo (geralmente em inglês) caso queira instalar basta clicar no botão correspondente.

>>>Vamos jogar?
O que as pessoas, equivocadamente, sempre reclamam do Linux é a falta de jogos. Dentro da Central de Programas do Ubuntu existem mais de 400 jogos que podem ser instalados no PC. E o melhor, são todos gratuitos. Obviamente, não são títulos populares no mercado.

>>>Ubuntu One é computação nas nuvens
O Ubuntu One é um recurso que cria um diretório virtual em servidores na internet com capacidade de 2GB, para que o usuário possa manter cópias de seus arquivos em um sistema online. Também é possível compartilhar seus arquivos com outros usuários do Ubuntu One. É possível expandir a conta para ter mais espaço, mas isto envolve custos, como pode ser visto neste link.

>>>Considerações finais
Claro que não é possível explorar todas as novidades de um lançamento como este em uma única coluna. Por isso, também deixo a cargo de vocês escreverem nos comentários o que acharam do novo Ubuntu e de suas outras novidades.

Além das descobertas apresentadas aqui, o Ubuntu também traz versões atualizadas dos principais programas do mercado, como OpenOffice e o navegador Firefox, o que ajuda a manter o sistema sempre atualizado.

Vi com bons olhos esta nova versão do Ubuntu. Ela é leve e é notória a preocupação dos desenvolvedores em deixá-la cada vez mais amigável para todos os usuários. Aliás, este fator sempre foi o calcanhar de Aquiles do Linux e o grande triunfo da Microsoft: fazer algo fácil de usar independente de quem está usando.

Não posso, ainda, comparar a facilidade do Windows com a do Linux, mas o Ubuntu ganha em desempenho e segurança pois é um sistema estável e com pouca incidência de pragas virtuais que tanto assustam e atormentam os usuários do Windows.

Claro, se pesarmos o custo, não há dúvidas de que o Linux, por ser grátis, leva uma esmagadora vantagem. Mas não é só isso que deve ser levado em conta. A qualidade do sistema tem seu peso e posso dizer que o Ubuntu está melhor a cada versão.