Arquivo

Posts Tagged ‘Linux’

Otimizando firefox ( quando se tem um historico e favoritos muito grande )

19 de março de 2011 Deixe um comentário

Vamos as explicacoes sobre o funcionamento desse tutorial ( alias e uma dica )

Obs caso nao queira saber o porque pule para o topico Maos a Obra ( Recomendo a leitura mais fica a criterio de cada um )

Quando você tem um histórico muito grande ou muitos favoritos, o navegador fica lento ao gerenciar favoritos ou histórico e, principalmente, a Barra Sensacional fica lenta para mostrar suas sugestões, o que torna desagradável digitar qualquer coisa ali. O que precisa ser feito é otimizar o banco de dados do navegador, Mais por que isso ocorre

No firefox Firefox 3, a Mozilla substituiu o formato de armazenamento de dados Mork por uma base de dados SQLite (SGBD) , que implementada pelo componente MozStorage. Isso foi uma melhoria Gigantesca para que a responsividade ( tempo de Resposta ) da aplicação aumentasse e o consumo de memória reduzisse, dado o desempenho do SGDB em contrapartida à antiga implementação.

Como Nada e perfeito nao seria dirente para essa implementacao , com o tempo, o arquivo da base de dados vai crescendo e crescendo e, ao mesmo tempo, deixando espaços vazios. É um processo natural de um SGDB, isso e denominado  data overhead (sobrecarga de dados), que e dado normamente pelo processo de incluir e remover objetos (registros, tabelas, índices) não mais necessários. Apesar de otimizar o tempo de novas inserções, cria-se uma fragmentação prejudicial no acesso do disco ao conteúdo da base – mesma lógica de fragmentação em sistemas de arquivos.

A otimização nada mais é do que a “desfragmentação” das bases de dados.que o firefox utiliza  Bases? Sim, bases.
Uma instalação comum do firefox tem pelo menos 10 bases de dados SQLite diferentes, e cada uma com sua finalidade:
armazenar cookies,
preferências de conteúdo,
favoritos/histórico,
busca,  etc. No entanto, as principais pela estabilidade (ou falta dela) da aplicação são apenas duas: places.sqlite (onde se armazena os favoritos e histórico) eurlclassifier3.sqlite (dados do filtro anti-phishing). Tá, e como eu “desfragmento” os bagulhos?

Bem, como toda base de dados, via linguagem estruturada de consultas, mais conhecida como SQL. No caso do SQLite, a sintaxe é simples e objetiva: VACUUM. Tá, mas como eu faço isso?

Maos a Obra

precisamos ter o sqlite3 instalado
caso nao tenha aptitude install sqlite3

Obs.: feche o Firefox primeiro!

$ cd ~/.mozilla/firefox/seu_perfil
para saber qual e o seu peril padrao visualize o arquivo profiles.ini dentro da pasta firefox

olhe o meu como exemplo

dei um
ls ~/.mozilla/firefox/

a saida foi

8qt6dleg.default  Crash Reports  h1ck1ssz.default  profiles.ini

depois um
cat ~/.mozilla/firefox/cat profiles.ini

a saida
[General]
StartWithLastProfile=1

[Profile0]
Name=default
IsRelative=1
Path=h1ck1ssz.default

ja sabemos qual e o profile padrao

$ for i in *.sqlite; do sqlite3 $i vacuum; done

Pronto  Isso vai otimizar o banco de dados do navegador, que vai ficar bem mais rápido para buscar entradas na barra.

Possivel erro

caso apareca a seguinte msg
Error: database is locked

e porque o firefox esta em execucao ( ou o processo ainda esta ativo )
caso ja tenha fechado o mesmo e o erro persista execute o comando

killall firefox
killall firefox-bin

e repita o

for i in *.sqlite; do sqlite3 $i vacuum; done

 

Bem pessoal vou fazer um script ( alias ja ta feito so que tem que melhorar ) para ser rodado periodicamente para executar essa funcao

Serie Linux Basicao Comando Free

14 de março de 2011 Deixe um comentário

O comando free veio pra ajudar quem está querendo saber a utilização de memória (RAM + SWAP) do seu Linux. É extremamente simples!

Vamos la
Ao digitar o comando free ira aparecer  o total da memoria usada livre em bytes como  pode ber abaixo
no comando free temos as principais opcoes
-m exiber em Mb
-t Exibir o total da soma Memoria Ram + Swap
-s Atualizar o resultado de tempo em tempo unidade de tempo expressa em segundos

free

total       used       free     shared    buffers     cached
Mem:       1930704    1788132     142572          0      24668     320632
-/+ buffers/cache:    1442832     487872
Swap:      1052184     422208     629976

free -m ( ira aparecer em Mb )

total       used       free     shared    buffers     cached
Mem:          1885       1747        137          0         24        313
-/+ buffers/cache:       1410        474
Swap:         1027        412        615

free -m -t ( ira te mostrar em Mb e  tambem o total de memoria Ram + Swap )

total       used       free     shared    buffers     cached
Mem:          1885       1751        133          0         24        315
-/+ buffers/cache:       1412        473
Swap:         1027        412        615
Total:        2912       2164        748

free -m -t -s 10 ( ira te mostrar em Mb e  tambem o total de memoria Ram + Swap e ira atualizar de 10 e 10 segundos )

Serie Linux Basicao Comando Apt-get

8 de março de 2011 Deixe um comentário

O apt-get é um recurso desenvolvido originalmente para a distribuição Debian que permite a instalação e a atualização de pacotes (programas, bibliotecas de funções etc) no Linux de maneira fácil e precisa.

o comando apt-get usa como base o arquivo
/etc/apt/sources.list

Como essa serie e bem basica nao vou me prender em como configurar o arquivo sources.list ( em todas as distro ela ja vem com uma lista basica de mirros * enderecos )

Digite no terminal ou console: tem que se ter acesso a root para executar os comando abaixo ( ou via sudo )

Para atualizar a lista local de pacotes:

apt-get update

Para instalar todas as atualizações disponíveis:

apt-get upgrade

Para instalar um pacote:

apt-get install nomedopacote

Para remover um pacote:

apt-get remove nomedopacote

Obs.: Muitos pacotes, se não todos, deixam arquivos ou registros de configuração.

Para remover completamente um pacote:

sudo apt-get –purge remove nomedopacote

Mysql Aceitando Conexoes externas

7 de março de 2011 Deixe um comentário

Como root edite o arquivo my.conf ( use seu editor preferido nano ou vim )

/etc/mysql/my.cnf

Agora altere a seguinte linha..

bind-address = 127.0.0.1

..para..( assim todos os ips podem se conectar ) ou coloque um ip especifico

bind-address = 0.0.0.0

Agora reinicie o serviço mysql com:

/etc/init.d/mysql restart

Categorias:mysql Tags:, , ,

Brasil pode liderar mercado de software livre

26 de julho de 2010 Deixe um comentário

O Brasil reúne todas as condições para garantir uma posição de liderança no mercado mundial de software livre.

Para alcançar tal objetivo o país, que já conhecido internacionalmente como uma liderança no desenvolvimento de aplicações de software livre, deve apoiar as empresas brasileiras que desenvolvem para este ambiente de forma a que elas venham a realizar projetos também no exterior.

A afirmação é de Djalma Petit, diretor de Mercado da Softex, que participa do 11​Fórum Internacional do Software Livre com objetivo de cadastrar empresas trabalhando com software livre que tenham casos de sucesso para relatar, além de interagir com o público presente, prestando informações sobre os projetos que desenvolve.

“O Fisl, hoje considerado o maior encontro de comunidades de software livre da América Latina e um dos maiores do mundo, é uma importante ferramenta dentro dessa estratégia”, avalia o diretor.

Além disso, a Softex – que participa do Fisl no estande do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) – apresenta no evento o white paper How Your Company Can Benefit from Brazilian Service Providers Using Open-Source Solutions .
O documento, que está disponível para download no link relacionado ao final desta notícia, afirma que o país diferencia-se de outros países do BRIC aos olhos da comunidade offshore por possuir programadores capacitados, companhias especializadas na comercialização de soluções open source e “inúmeras empresas bem-sucedidas no emprego de ferramentas baseadas em software livre em diversas verticais, como telecomunicações e educação”.

O levantamento traz ainda o estudo de caso da joint-venture firmada entre a Intel e a brasileira International Syst. para o desenvolvimento do projeto “Escolas em rede”, um sistema de gerenciamento que interligou 4 mil escolas públicas de Minas Gerais à Internet e criou uma rede escolar conectada à Secretaria da Educação local.

A iniciativa envolveu 170 mil professores e 2,5 milhões de estudantes em 853 municípios.

Apache mais seguro sem exibir informacoes

17 de junho de 2010 Deixe um comentário

Ocultando Detalhes do Apache

Removendo informação do Apache para maior segurança.

O apache com suas configurações padrão, ele fica um pouco vulneravel pois exibe informações ao usuario como versao do apache, do sistema, e dos complementos instalados.

Com isso estamos divulgando um alto nivel de informações sobre nosso infra a qualquer usuario .

Para corrigir é necessario mudar uma linha dentro de /etc/apache2/apache2.conf ou /etc/apache2/conf.d/security , isso pode varia de acordo com sua distribuição

# vim /etc/apache2/apache2.conf ou /etc/apache2/conf.d/security

para visualizar como esta setado as conf do apache

cat /etc/apache2/conf.d/security |grep ServerTokens

ou

cat /etc/apache2/apache2.conf |grep ServerTokens

para editar Procure pela linha

ServerTokens

Um metodo facil para isso no vim e usar o modo busca

aperte a tecla ESC , depois digite /ServerTokens e aperte enter pronto ele vai fazer uma pesquiza dentro do arquivo e te levar ate a palavra pesquisada

as opções existente para ServerTokens são

 

1) “Full” Essa opção e setada como padrão, e exibe todas as informações do servidor

 

2) “OS”, está exibe as informações do apache incluindo o sistema operacional;

3) “Minimal” Sera apresentada todas as informações do apache

4) “Minor”, exibe apenas a versão do apache e sua subversão

5) “Major” Exibe a versão em uso do apache (1 ou 2)

6)”Prod”, está opção não exibe informação nenhuma de servidor, é por esse motivo e aconselhável utiliza-lá para maior Segurança

mude a linha para

ServerTokens Prod

Agora salve e feche o arquivo

para ativar as novas configurações é necessario da um reload no apache

# /etc/init.d/apache2 reload

Caso nao haja mudança force um restart do apache

/etc/ini.d/apache2 restart

Pronto agora seu apache já está um pouco mais seguro por não exibir as informações do seu servidor.

Categorias:apache Tags:, ,

Teste mostra que novo Ubuntu está simples para a maioria dos usuários

4 de novembro de 2009 Deixe um comentário

O dia 29 de outubro foi especial para a comunidade Linux pois marcou o lançamento da versão 9.10 do Ubuntu. Essa distribuição do Linux tem dois lançamentos por ano, sempre nos meses de abril e de outubro.

O Ubuntu caiu no gosto dos usuários e não poupa esforços para ser leve, completo e fácil de usar. O foco desta nova versão não está no visual e no pacote de aplicativos mas, sim, em deixar o sistema mais completo, seguro e rápido.

Por padrão, a interface gráfica do Ubuntu é o Gnome, que não traz grandes novidades estéticas. Ela é bastante simples e direta, com ícones grandes e permite a organização de aplicativos e de configurações em uma barra de ferramentas na parte superior da tela. Para quem gosta de um visual mais rebuscado e detalhado como o do Windows 7, o Gnome deixa a desejar. Mas quem prefere simplicidade e praticidade, ele é um prato cheio.

Claro que não posso deixar de dizer que a aparência da interface é altamente personalizável, permitindo ao usuário deixá-la do jeito que desejar. Vamos as novidades.

>>> Boot (inicialização) mais rápido?
Algumas mudanças técnicas deixaram o processo de inicialização do sistema mais rápido. Instalei o Ubuntu em meu PC principal (Intel Quad Core 2.4 GHz com 3 GB de RAM) e levou cerca de 45 segundos para ligar o computador e o sistema operacional estar pronto para o uso.

>>> Instalação diferenciada
O que mais me chamou a atenção no Ubuntu 9.10 é que existe uma opção de demonstração do Sistema, a LiveCD, sem que ela seja instalada, rodando-a diretamente do CD. Para minha surpresa, o disco carregou o sistema completo como seu eu tivesse optado pelo LiveCD. No desktop dessa opção, existe um ícone para instalação do sistema em modo gráfico e com algumas novidades como a possibilidade de login automático (sem a necessidade senha) e também uma opção de criptografia para a pasta raíz do usuário.

O particionamento do HD é feito de forma automática, o que é altamente recomendado para usuários mais leigos. Entretanto, para melhorar o desempenho do computador e ter mais segurança nos dados, o ideal é sempre realizar um particionamento manual, algo que pode ser aprendido por meio deste tutorial, que é completo e ilustrado.

>>> Substituição: sai o Pidgin, entra o Empathy
Gosto do PidGin, principalmente da sua versão “portátil” e não entendi o motivo da substituição dos programas. Claro que fazer parte do pacote padrão do sistema não significa que você também deva mudar de programa. Basta baixar e instalar o comunicador instantâneo que você mais gosta.

O Empathy tem um visual rústico e bastante simples, nada das rebuscadas telas do Windows Live Messenger. Ele se conecta nas mais variadas redes como MSN, Yahoo, Jabber (Google Talk) e AOL.

>>>Enfim, ficou fácil instalar programas
A Central de Programas do Ubuntu é algo essencial e fundamental para ajudar a popularizar o Linux. Explico: ele agrupa diversos aplicativos categorizados que podem ser baixados e instalados no PC. As explicações sobre o que são os aplicativos estão em português e em uma linguagem acessível para quem não entende os termos do sistema.

Escolha uma das categorias e procure o programa. Clicando na seta ao lado do seu nome, você verá mais detalhes sobre o aplicativo (geralmente em inglês) caso queira instalar basta clicar no botão correspondente.

>>>Vamos jogar?
O que as pessoas, equivocadamente, sempre reclamam do Linux é a falta de jogos. Dentro da Central de Programas do Ubuntu existem mais de 400 jogos que podem ser instalados no PC. E o melhor, são todos gratuitos. Obviamente, não são títulos populares no mercado.

>>>Ubuntu One é computação nas nuvens
O Ubuntu One é um recurso que cria um diretório virtual em servidores na internet com capacidade de 2GB, para que o usuário possa manter cópias de seus arquivos em um sistema online. Também é possível compartilhar seus arquivos com outros usuários do Ubuntu One. É possível expandir a conta para ter mais espaço, mas isto envolve custos, como pode ser visto neste link.

>>>Considerações finais
Claro que não é possível explorar todas as novidades de um lançamento como este em uma única coluna. Por isso, também deixo a cargo de vocês escreverem nos comentários o que acharam do novo Ubuntu e de suas outras novidades.

Além das descobertas apresentadas aqui, o Ubuntu também traz versões atualizadas dos principais programas do mercado, como OpenOffice e o navegador Firefox, o que ajuda a manter o sistema sempre atualizado.

Vi com bons olhos esta nova versão do Ubuntu. Ela é leve e é notória a preocupação dos desenvolvedores em deixá-la cada vez mais amigável para todos os usuários. Aliás, este fator sempre foi o calcanhar de Aquiles do Linux e o grande triunfo da Microsoft: fazer algo fácil de usar independente de quem está usando.

Não posso, ainda, comparar a facilidade do Windows com a do Linux, mas o Ubuntu ganha em desempenho e segurança pois é um sistema estável e com pouca incidência de pragas virtuais que tanto assustam e atormentam os usuários do Windows.

Claro, se pesarmos o custo, não há dúvidas de que o Linux, por ser grátis, leva uma esmagadora vantagem. Mas não é só isso que deve ser levado em conta. A qualidade do sistema tem seu peso e posso dizer que o Ubuntu está melhor a cada versão.